Janela de privatizações está aberta

Janela de privatizações está aberta

Como indicado em nossos canais de comunicação na semana passada, o governo mudou o ponto de vista sobre as oportunidades para as privatizações. Agora, voltou a afirmar que o momento é ideal para a retomada de processos nesse sentido. De qualquer forma, ele vem agindo com mais cautela, pois indicou que pretende privatizar neste ano somente as empresas de menor destaque.

 

No caso dos Correios, a tendência é a retomada de estudos e tentativa de venda da empresa pública no próximo ano. O governo tem avaliado que o momento se tornou muito favorável para ficar livre das estatais, sob o argumento de que não faz sentido manter empresas ineficientes em um contexto onde o Estado precisa de dinheiro para cuidar da saúde da população. O Executivo nacional também defende que as atividades de empresas como os Correios podem ser absorvidas pela iniciativa privada.

 

Para fundamentar os argumentos favoráveis à privatização dos Correios, foi indicado o elevado número de reclamações de clientes contra a estatal nos últimas meses. Diferente desse apontamento, internamente a empresa divulgou recentemente aos colaboradores nota mostrando o oposto. Afirmou que o número de manifestações no canal de atendimento aos clientes caiu 40%, na comparação entre o ano passado e 2018.

 

O governo também usa como argumento para a retomada das privatizações pesquisas do ano passado, que indicam apoio de cerca de 29% da população para ações desse tipo. Importante observar que é a minoria dos pesquisados que aprovam as privatizações, ou seja, a maioria tem opinião oposta. Sendo assim, qual o motivo para privatizar empresas públicas que têm boa aceitação e respeito da população atendida, principalmente quando elas têm lucro? Este é o caso dos Correios que, em 2019, apresentaram R$ 102 milhões de balanço positivo.

 

Outro argumento usado pelo governo é o prejuízo acumulado de R$ 2,5 bilhões pelos Correios. Na verdade, entre 2013 e 2016, houve sucessivos períodos de desempenho financeiro ruim da empresa. Mas o quadro vem se revertendo, com ganhos nos três últimos anos da ordem de R$ 900 milhões. Assim, os Correios vêm se recuperando, não o contrário.

 

É importante destacar que há iniciativas no Congresso com o objetivo de suspender as privatizações das estatais. Uma delas é o Projeto de Lei 3.085/2020, do deputado federal Pompeo de Mattos (PDT), que busca interromper processos do tipo até 2020. Está aberta, inclusive, enquete para saber a opinião da população a respeito do tema. É muito importante você acessar a enquete e dar a sua opinião favorável ao PL (clique aqui). Até o dia 02/07, 985 pessoas já haviam manifestado plena concordância com o Projeto de Lei (95% das respostas).

 

#SomosEssenciais #TodosPelosCorreios

 

A campanha Todos Pelos Correios segue em frente! Os conteúdos estão disponíveis no site www.todospeloscorreios.com.br e nos perfis de redes sociais – FacebookInstagram e Twitter. Cadastre-se também no Whatsapp (61) 99448-7766. Curta e compartilhe as informações com todos.

Deixe uma resposta