Correios: Alvarenga, Jaíba e Januária dizem ‘não’ à privatização

Mais três cidades mineiras se manifestaram contra a venda dos Correios por meio de suas Câmaras Municipais. No dia 15/8, aconteceu em Alvarenga a aprovação da moção em repúdio à privatização da estatal. O município fica na região do Vale do Rio Doce. Já no dia 16/8, foi a vez dos vereadores de Jaíba, no Norte de Minas, aprovarem iniciativa no mesmo sentido. Por fim, no dia 23/8, foi o município de Januária, também no Norte de Minas, que aprovou moção contra a privatização.

 

Nas três cidades, as iniciativas foram aceitas por unanimidade. Na primeira, a autoria foi dos vereadores Osmário e Paulo César (PC), ambos do PT. Em Jaíba, o vereador Reginaldo Ferreira, também do PT, fez a proposição da moção. Já em Januária, a autoria da iniciativa partiu de todos os vereadores do município.

 

O número de habitantes em Alvarenga é de 3,8 mil; em Jaíba, 39,8 mil; e em Januária, 67,6. Caso a privatização aconteça, principalmente nos pequenos e médios municípios, tais como essas cidades, há o risco de fechamento de agências e a consequente interrupção de serviços prestados pela empresa pública, sem garantias de absorção deles por operadores logísticos privados. Fala-se inclusive no risco de ‘apagão postal’ em certas localidades, afetando a economia regional delas.

 

Presente nos 5.570 municípios brasileiros, os Correios são o maior operador logístico nacional e parceiros de inúmeros empreendedores que usam os serviços da empresa pública para a entrega dos itens que comercializam. Afinal, por cobrir todo o território brasileiro, os Correios garantem a integração de diversas regiões do País aos polos econômicos nacionais.

 

Moções contra a privatização

 

Há pouco mais de dois anos, a Associação dos Profissionais dos Correios (ADCAP) vem apoiando a aprovação, em Câmaras Municipais de todo o País, de moções em repúdio à privatização dos Correios. Em Minas, quase 200 cidades se manifestaram nesse sentido. Elas reúnem mais 12,4 milhões de habitantes segundo último Censo. Esse quantitativo ultrapassa a maioria da população do estado de Minas Gerais, evidenciando mais uma vez a necessidade de se manter os Correios como empresa prestadora de serviços públicos.

 

A moção é uma proposição apresentada na Câmara Municipal pelo vereador, com algum tipo de manifestação. No caso das iniciativas contra privatização dos Correios, a intenção é evidenciar a preocupação com relação aos efeitos negativos que a venda da estatal pode acarretar, principalmente com relação à economia local.

 

#SomosTodosCorreios
Agora é hora de prestigiar quem defende os Correios. Conheça os candidatos que valorizam a empresa pública e querem que ela continue atendendo a população brasileira!

Deixe um comentário